Pintura eletrostática é a pintura de alta produção e fino acabamento, com revestimento em pó nas versões epóxi, poliéster e híbrido. Diferencia-se consideravelmente da pintura com tinta líquida, notadamente nos métodos de aplicação e na resistência do filme.      Ela se caracteriza pela fácil aplicação, através de um processo eletrostático. O pó adere perfeitamente às peças mesmo em pontos de difícil acesso, como cavidades, reentrâncias, etc.

Após a aplicação, a peça é submetida ao aquecimento e as partículas de pó aderidas se fundem formando uma película plástica uniforme, com espessuras que variam de 40 a 100 microns. Essa película não amolece mesmo quando submetida a reaquecimento. O tempo de cura varia de 10 a 30 minutos e a temperatura entre 150ºC a 200ºC.

Os revestimentos em pó podem ser aplicados em qualquer superfície metálica: autopeças, eletrodomésticos, grandes móveis metálicos, implemento agrícolas, extintores, bicicletas, equipamentos para camping, luminárias, utilitários domésticos, entre muitos outros.

Os tipos de tintas são escolhidos e desenvolvidos de acordo com a necessidade específica de cada cliente e condições de trabalho de cada peça.

Epóxi: indicada para ambientes internos altamente agressivos (atmosfera ácida ou alcalina). Possui grande poder de aderência e alta resistência química.

Poliéster: indicada para ambientes externos por apresentar grande resistência ao ataque de raios ultravioletas do Sol, à calcinação, ao intemperismo e à maresia.

Híbrida: fabricada a partir de uma composição do epóxi e poliéster, é recomendada para uso em ambientes internos, como eletrodomésticos, móveis e decorações. Por apresentar excelentes características mecânicas, esse tipo de tinta é o mais utilizado pelas indústrias em geral.

Para que a pintura das peças seja feita de forma correta, há a necessidade de se preparar a superfície de modo a proporcionar a perfeita aderência do pó. Esse preparo da superfície, feito por banhos em produtos químicos, respeita as seguintes etapas:

1ª – Desengraxante – especialmente formulado para a remoção do óleo protetor de superfícies ferrosas antes do processo de decapagem.

2ª – Água corrente para enxague das peças evitando a contaminação entre a primeira e a terceira fase.

3ª – Decapante – Formulado à base de ácido inorgânico, remove ferrugem (oxidação de metais ferrosos) antes das próximas fases.

4ª- Refinador – Esta solução cria inúmeros germes de cristalização ativando a superfície para o tratamento posterior.

5ª – Fosfatizante – Sais complexos de titânio produzem uma película microcristalina de fosfato de zinco ativando a superfície, conferindo excelente propriedade anticorrosiva para o recebimento da pintura.